terça-feira, 5 de abril de 2011

“o que é ser avó do João Batista?”

Pedi para minha mãe escrever um texto para postar no blog do Joãozinho, falando sobre a experiência de ser avó deste menino. Tive essa vontade porque muita gente leu o testemunho do vovô (postagem anterior) e também a mensagem dos dindos... penso que será importante para outras avós. E também partilhamos com vocês a experiência de quanta gente tem amado o lutador. Você vai perceber que a vó vera o chama sempre de João Batista, pois a inspiração de seu nome vem daí (na postagem A Promessa, vais entender), e Batista é como se fosse seu segundo nome de batismo.
Bom, segue o texto da vó coruja, abraço, Geise.



         Para dizer “o que é ser avó do João Batista?”,  tenho que contar desde o inicio.

         O anuncio da vinda do JOÃO BATISTA, me alegrou desde o primeiro instante, porque filhos são bênçãos de Deus, e netos são bênçãos em dose dupla. E também que como avó eu teria mais uma chance ( a terceira) de reeditar o meu amor.
          As noticias seguintes misturavam alegria com preocupação, as vezes agonia e dor no peito, que só dividi com 4 pessoas: Luiz, Juliana, tia Roni e tia Leoreni que foram meus ombros fortes durante a espera. Procurava não falar toda hora sobre o assunto, com a Geise e o Fabiano, para não preocupá-los ainda mais, e também porque sentia que não queriam me dizer tudo. As noites começaram a ficar longas demais.... foi difícil não ter a presença constante do Luiz em casa, não poder dividir com mais pessoas nem na família nem no trabalho.
           A esperança de que fosse um erro médico, um exame errado.... sei lá, permeavam meus pensamentos.
           No dia em que o JOÃO BATISTA nasceu, e as primeiras noticias da batalha pela vida que ele, o pai e a mãe estavam travando, me deixaram apavorada, impotente e inútil.  Sentia, ao mesmo tempo, confiança em Deus, porque Ele havia providenciado muitas coisas para essa hora. Dentre tantas providencias Deus preparou a Geise ( minha amada filha, guerreira, iluminada pelo Espírito Santo) para ser firme na fé, ter coragem para enfrentar toda a gravidez (acho que deva ter se tornado longa) sem desespero, e preparou o Fabiano (meu tão querido genro) para a hora do nascimento, dando-lhe coragem e a força do Espírito Santo para falar e interferir nas decisões médicas, a favor de ajudar o JOÃO BATISTA na sua batalha pela vida.
            Durante as horas que se sucederam ao nascimento, me coloquei no lugar deles várias vezes e me desesperei, então agradeci a Deus ter dado ao JOÃO BATISTA estes pais que ele tem.
            Se passaram os dias, e eu só pensava em poder conhecer meu querido neto. Não tenho lembrança de ter ganhado um presente tão maravilhoso, em outros natais de minha vida:  conhecer o JOÃO BATISTA meu adorável guerreiro. E neste dia foi muita alegria, o Natal foi vivenciar Jesus menino na figura do meu neto. Olhar aquele menino tão pequeno, mas que junto com seus pais ficava forte: Esses três são parada dura.
             Quando lembro desta visita e vejo a imagem dos três pelo vidro, vejo a família de nazaré: a Geise a Maria dando seu sim: seja feita a vontade do Senhor; o Fabiano o José, confiando no Senhor e zelando pelo filho: e o JOÃO BATISTA o próprio Menino Jesus. Repleto de Luz, de amor. Como diz a canção: rosto divino do homem, rosto humano de Deus.

            O que é ser avó do JOÃO BATISTA?
   
    Ser avó do JOÃO BATISTA  é o mesmo que ser avó do PEDRO e da ANA LUIZA, porque colocá-lo em meu colo, cheirar, beijar, afagar, ter vontade de apertar contra o peito, não querer vê-lo chorar, admirar,  e tudo o mais, são  as mesmas sensações, zelos, paixões e amores, que tive e tenho pelos três. È claro que ele é mais do que especial porque tem coisas que não posso fazer com ele, mas posso substituir por outras que não me impedirão de materializar e verbalizar meu amor por ele.  Pode até ser que ele não me entenda, não me reconheça, pelas suas limitações, mas eu sei quem ele é e o que ele representa na minha vida  e isto basta para eu amá-lo.

        Quando chego no hospital digo: “JOÃO, acorda! A vó quer conversar contigo.” E se ele abrir a frestinha do olho direito, já ganhei o dia, e aí é só papo, nosso diálogo corre frouxo até a próxima soneca.  Se ele chorar me dói o peito. Quando  digo a ele: “a vovó te ama” , e os olhinhos ( que não vejo) se movimentarem dizem: “eu também”.  Acaricio aquelas madeixas ruivas, canto canções de ninar, e a canção que a bisa Julia cantava para nós quando crianças: “são joão dararão tem uma gaita raraita......”  Ser avó dele é isso: amar, amar e amar e não precisar ensinar nada a ele, porque ele é que está me ensinando a viver.

JOÃO BATISTA: ser tua avó é  o melhor presente que Deus me dá todos os dias e explicar   o que é ser avó é um pouco difícil, o bom mesmo e ser avó sem precisar conceituar esse sentimento, que só quem vive, sabe o que é. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Coisa mais linda, o quanto vocês nos ensinam a amar, amar, amar... confiando em Deus!
Um beijão e um montão de abraços!
Fabiana Tibolla Tentardini

M. Fatima disse...

Este presente Deus dá aqueles que são capaz de amar e ser testemunha de amor. Deus os abençou e os ama com um amor precioso.Realmente a família de Nazaré. sei que não é facíl pois tenho uma filha que também é um graça de Deus e Ele nos fortalece para contunuar testemunhando o seu amor.
Abraços e conte com a nossa oração. Gstavo,Fátima e Maria Júlia